O mistério das conexões

É intrigante como – e por que – as conexões acontecem. Para mim, é quase um mistério.

***

Demos uma volta completa pela Praça da Sé sem fazer nenhum novo amigo. Jair lamentou: “Que pena, bem hoje que eu vim não tá acontecendo nada”, mas logo Paty o tranquilizou, contando que na semana anterior havia sido parecido, mas de uma hora para outra conhecemos um monte de gente e acabou sendo uma tarde super legal. Eu pensei alto: “No fundo, acho que depende é da gente mesmo. Se estamos meio fechados, desconfiados, então nada acontece, mas se estamos com um sorrisão no rosto, se estamos abertos, aí eles percebem e de algum jeito chegam até nós.” Enquanto seguíamos, ainda pensei que se estamos de verdade desejando o melhor para eles, com o nosso coração focado neles, então de alguma forma eles captam isso, sentem a nossa intenção, e uma nova conexão acaba naturalmente acontecendo.

Aproveitei nossa conversa como um lembrete para mim mesma, e tratei logo de calibrar a minha intenção. Coincidência ou não, nem três minutos depois já estávamos os três engajados em diferentes e intensas novas conexões.

cópia de 2017-08-02 16.47.58

***

Alonço contou como para ele a conexão aconteceu: “Eu vi você de longe, nessa cor de laranja, e pensei: preciso falar com ela, TENHO que falar com ela. Eu nem sabia o que eu queria falar, mas eu tinha que falar com você. E não é que você veio vindo, vindo, acabou chegando até mim, sentou aqui do meu lado, e agora ficamos amigos? Nunca conversei assim antes, eu sou tão solitário.”

2017-08-02 16.47.34

Falando de seus sentimentos e da própria história, Alonço chorou como uma criança pequena, apesar de seus quase 60 anos.
“Alonço, agora somos amigos, amigos de coração. Quando o senhor se sentir solitário novamente, lembre-se da amiga de camiseta laranja e pense: ela agora pode até estar bem longe, mas sei que onde ela estiver, estará querendo o meu bem!”
Tiramos alguns ‘selfies’, a pedido dele, para selar nossa amizade.

***

Esdras, educado, pediu: “Posso ler sua camiseta, com sua licença? Ação, conexão, apoio, amizade. Deixa eu entender. Ação é porque vocês saíram de suas casas e vieram até aqui, não ficaram só pensando. Conexão tá claro, só aqui já se conectaram com muita gente. Amizade, essa também é óbvia, é o que estamos fazendo aqui. E apoio? Como vocês apoiam?”

CASA-LOGO-LJComecei a responder, meio que justificando que podíamos fazer pouco, que tentávamos dar “pequenos” apoios… Por exemplo, há instantes eu havia telefonado para a mãe de um homem que devia estar preocupada com ele, enquanto meus amigos viam como acompanhar um senhor até o albergue porque ele estava com medo de se perder. Às vezes, conseguíamos ajudar com alguma coisa que a pessoa estava precisando, uma roupa, um alimento, mas nossa ONG era pequenininha, não tínhamos muitos recursos, e… Não cheguei a concluir o raciocínio, ele me interrompeu: “Isso é bom, dar coisas, mas isso tem muito por aqui. Muita gente vem e nos dá um monte de coisas. O maior apoio que vocês dão, pelo que estou vendo, é conversar. Vocês dão atenção pra gente, dão tempo, sentam junto, sem fazer distinção. Não temos isso nunca, de ninguém. Isso faz bem pra gente. Isso é apoio de verdade.”
Então releu novamente as palavras da camiseta ‘ação, conexão, apoio, amizade’, e concluiu: “As palavras estão corretas.”

***

Conexões com quem está nas ruas abandonado  – ou que nelas se abandonou, não muda muito – , vai aí um “mistério” que estamos aprendendo a exercitar.

 

Salvar

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s